Geral
Juiza solta Eike Batista e diz que ninguém pode ser preso para produzir provas contra si mesmo
Eike Batista foi preso na última quinta-feira (8), sob a hipótese de poderia que alinhar seu depoimento ao de outros alvos indiciados nos desdobramentos da Lava Jato.

Por Bené Barbosa
Publicado 12/08/2019
A A
Foto: Reprodução

O habeas corpus concedido ao empresário Eike Batista na noite desse sábado (10) pela juíza Simone Schreiber, trouxe à luz uma discussão que já havia sido se desenrolado no decorrer da Operação Lava Jato: a autoincriminação.
Ao decidir pela liberação de Eike, Schreiber explica que  a prisão temporária ocorreu como forma de fazer com   Batista produzisse provas contra si mesmo durante o interrogatório. Segundo ela, o princípio é idêntico ao da condução coercitiva onde o alvo é levado e obrigado a depor.
Prisões temporárias e linchamento público de investigados
A juíza lembra ainda que tal ação viola o Constituição Federal que garante os princípio da não incriminação,  da presunção da inocência e direito ao silêncio. Para ela, esse foi um erro que grave que se deu durante toda a Lava Jato e que foi observada e pontuada pelo Supremo Tribunal Federal (STF).
Eike Batista foi preso na última quinta-feira (8), sob a hipótese de poderia que alinhar seu depoimento ao de outros alvos indiciados nos desdobramentos da Lava Jato.

Fonte: Rolim Notícias com informações do Portaldoholanda

Lava jato   Eike Batista   provas   Juizá   brasil  

Mais em Geral

Notificações

Se você gostou do nosso conteúdo, podemos lhe enviar notificações push sobre postagens selecionadas.