Geral
Doada por artista, estátua gigante de Aparecida tem estrutura amontoada em terreno
Governo diz que tenta viabilizar novo ponto turístico por meio de parceria.

Por G1
Publicado 14/07/2019
Atualizado 15/07/2019
A A
Foto: Fábio França/ G1

Presente de um artista na celebração dos 300 anos do encontro da imagem de Nossa Senhora de Aparecida, em 2017, o monumento gigante da Padroeira do Brasil tem destino incerto. Dois anos após o anúncio, a Prefeitura de Aparecida (SP) informou que ainda estuda uma Parceria Público-Privada (PPP) para viabilizar a instalação do monumento e a construção de um parque no entorno dele. (leia mais abaixo)

O G1 esteve no local onde a estátua foi deixada para instalação, a cerca de três quilômetros da basílica, e encontrou as peças abandonadas e com a parte interna enferrujada. O local não conta com qualquer segurança ou barreira para impedir o acesso.

De acordo com o artista plástico Gilmar Pinna, o transporte entre o atelier dele em Guarulhos (SP) e o local onde está a obra, em Aparecida, foi feito pela equipe dele. O trajeto tem cerca de 150 quilômetros.

Para ser colocada no local, a imagem foi esculpida em quatro peças. Porém, a instalação depende de uma contrapartida de estrutura da administração municipal.

"O que falta para eu instalar a santa é a base, que ficou como responsabilidade da prefeitura fazer. Eles começaram a construir, mas tem um ano que pararam a obra e não deram nenhum motivo ou previsão de retorno. A imagem já está pronta, ela está dividida em partes e só falta montar em cima da base. Em 15 dias ela já ficaria pronta", disse. O monumento, quando pronto, será maior que o Cristo Redentor.

O artista diz que gostaria que a obra fosse entregue antes do próximo dia 12 de outubro - dia da Padroeira -, ou ao menos fosse lançada na data.

Gilmar conta que trabalhou por oito meses na estátua, feita com aço inoxidável e custeada por amigos parceiros dele, além do uso de sobras de material de outros trabalhos - segundo o artista, o monumento é avaliado em cerca de R$ 1 milhão.

A intenção inicial com a instalação do novo cartão-postal na cidade, que recebe cerca de 12 milhões de devotos por ano, abrangia um parque temático dedicado à Santa (veja simulação abaixo). A estátua foi prometida para até o fim de 2017 e a construção do complexo turístico até o final de 2019.

No local, às margens da Dutra, no entanto, apenas alguns blocos - parte deles quebrada por falta de conservação - estão empilhados. A sustentação da base da imagem chegou a começar, mas não foi concluída.

O que diz a prefeitura
Procurada pela reportagem, a administração municipal informou apenas que desde o início do ano estuda "que a área seja uma PPP". De acordo com a prefeitura, a área era um terreno ingrime que recentemente foi adequado com pavimentação e futuramente será um ponto turístico.

Não há definição sobre data de chamamento da PPP, início das obras no local ou previsão de conclusão. A administração disse que aguarda a conclusão dos estudos para lançar a Parceria Público-Privada. A ideia é que uma empresa privada invista na infraestrutura no local.

A Prefeitura de Aparecida foi questionada ainda sobre quanto seria necessário para a conclusão da obra e por que o município optou por estudar uma tentativa de parceria com empresas ao invés de custear o projeto, mas a administração não respondeu até a publicação da reportagem.

Rejeitada
Esta é a segunda vez em que uma obra de Gilmar Pinna é alvo de uma polêmica. Em 2014 ele criou construiu u a estátua de São Jorge com 25 metros como presente à Arena Corinthians. O clube rejeitou o monumento, que sem destino foi alocada no trajeto o aeroporto de Guarulhos.

 

Foto: Fábio França/ G1
Foto: Fábio França/ G1

Fonte: G1

Estátua   Doada   gigante   Aparecida   estrutura   amontoada   Terreno  

Mais em Geral

Notificações

Se você gostou do nosso conteúdo, podemos lhe enviar notificações push sobre postagens selecionadas.