Rondônia
Bolívia libera 4 milhões de hectares para o agronegócio na área de fronteira com Rondônia
Comitiva esteve nesta quinta-feira na Assembleia Legislativa e confirmou a informação

Assessoria de Imprensa
Publicado 11/07/2019
Atualizado 11/07/2019
A A
Fotos: Decom/ALE-RO

 Resultado das negociações envolvendo técnicos do Governo de Rondônia e do Governo boliviano, há uma faixa de terra de aproximadamente quatro milhões e meio de hectares  para fomento ao agronegócio. A área se localiza desta a faixa fronteiriça com o município de Pimenteiras até Guajará-Mirim.

A informação foi confirmada nesta quinta-feira por uma comitiva de agentes bolivianos composta por políticos e empresários em visita a Assembleia Legislativa de Rondônia. No Parlamento, a comitiva foi recebido pelo deputado Ezequiel Neiva, representando o presidente da Casa, Laerte Gomes, e pelo diretor legislativo, Helder Hisler, que desde o governo Confúcio integra a Mesa de Negociações de Rondônia com a Bolívia.

Os bolivianos visitaram o Grupo BDX, empresa localizada no terminal do complexo da Sociedade de Portos e Hidrovias de Rondônia (Soph).

Representantes da comissão de negociações entre o Departamento do Beni e Rondônia integram a comitiva que aproveitou a oportunidade para também visitar a Assembleia e conversar sobre os avanços nas tratativas comerciais entre os dois estados.

De acordo com o técnico legislativo da Assembleia, Helder Risler, que acompanha todas as reuniões desde a gestão do ex-governador Daniel Pereira, a comissão do Beni anunciou a conclusão do Plano de Uso do Solo (Plus).

“Esse plano para eles é o mesmo que o nosso Zoneamento Socioeconômico Ecológico e com a conclusão do Plus, eles confirmaram a liberação de quatro milhões e meio de hectares de solo boliviano para fomentar o agronegócio com a fronteira em Rondônia, de Pimenteiras até Guajará-Mirim”, informou Risler.

Ezequiel Neiva reconheceu se tratar de uma excelente notícia para o desenvolvimento dos dois estados e ressaltou que, “a região de Costa Marques, sentido Beni, tem muitos campos para serem utilizados para cultivo”.

A visita ao porto de Porto Velho, de acordo com a comitiva, foi justamente para um levantamento de custos e benefícios que venham viabilizar a exportação dos produtos por Porto Velho.

O deputado citou que a Assembleia conta com Frente Parlamentar Permanente Rondônia/Beni, criada com a finalidade de implantação e acompanhamento do Projeto de Integração Binacional entre os dois estados e que será de fundamental importância para auxiliar e dar continuidade a todas as tratativas que venham ser necessárias.

“Estamos em um período de recesso parlamentar aqui na Assembleia e muitos dos nossos deputados não se encontram na Capital, inclusive nosso presidente, mas, posso falar em nome do presidente Laerte Gomes e dos demais parlamentares, que queremos sim, fazer de tudo para que as coisas realmente aconteçam, pois tudo isso é muito bom para Rondônia e para o Beni. Em breve, juntos, poderemos escoar nossas produções para o mundo todo”, enfatizou Neiva.

O deputado agradeceu a visita da comitiva e confirmou novas reuniões para dar continuidade às negociações após o período de recesso e na presença tanto do presidente Laerte Gomes, dos membros da Frente Parlamentar Rondônia/Beni e dos demais membros da Casa de Leis.

Fotos: Decom/ALE-RO

Fonte: Assessoria de Imprensa

Agronegócio   Bolívia   TERRAS   hectares   Fronteira   Rondônia  

Mais em Rondônia

Notificações

Se você gostou do nosso conteúdo, podemos lhe enviar notificações push sobre postagens selecionadas.