Cidades
Vilhena: Casa de Detenção suspende visitas após princípio de rebelião, com facções rivais
Familiar disse que confronto deixou feridos, que foram levados para hospital

Por Folha do Sul
Publicado 13/06/2019
A A

O familiar de um preso que cumpre pena na Casa de Detenção de Vilhena, que fica na avenida Capitão Castro, região central da cidade, procurou o FOLHA DO SUL ON LINE, na manhã desta quinta-feira, 13, para relatar um principio de motim que aconteceu na unidade de segurança.

De acordo com a fonte, que pediu para não ser identificada, a confusão começou na noite da quarta-feira, 12, após os apenados ficarem sem direito de receber visitas, que aconteceriam na manhã do mesmo dia, por causa de uma briga que houve entre detentos dentro da cadeia pública.

O PATAMO foi chamado para apaziguar a situação, mas alguns dos presos tentaram resistir aos procedimentos de intervenção. Houve também uma tentativa de quebrar as portas das celas para atacar uma facção rival e dar continuidade à rebelião. Por causa disso, os militares passaram a atirar contra os detentos com armas de munições antimotim.

A situação se estendeu por horas, e presos foram levados ao Hospital Regional de Vilhena com lesões, algumas graves. Outros foram encaminhados à solitária.

Logo na manhã de hoje, o Grupo de Ações Penitenciárias Especiais (Gape) chegou com bombas de efeito moral. 

Ainda segundo o familiar que passou a informação, eles não foram avisados de que as visitas, que aconteceriam hoje, estavam suspensas e seriam adiadas para sexta-feira, 14, e também só souberam que houve o motim ao chegar à Casa de Detenção, quando um agente penitenciário relatou os fatos.

O site ligou para a Casa de Detenção, mas foi informado de que o diretor estava no Fórum, tratando justamente do princípio de rebelião. A reportagem deixou contato e publicará a versão oficial da unidade, quando ela for dada.

Fonte: Folha do Sul

Mais em Cidades

Notificações

Se você gostou do nosso conteúdo, podemos lhe enviar notificações push sobre postagens selecionadas.