Rondônia
Desembargador derruba liminar e permite abertura de comércio e igrejas na Páscoa em RO
Decisão atende pedido do Governo do Estado. Na quinta-feira (1), juíza havia suspendido partes dos decretos do governador

Por G1 RO
Publicado 02/04/2021
A A
Foto: Newton Menezes/Futura Press/Estadão Conteúdo

O desembargador Roosevelt Queiroz Costa, do Tribunal de Justiça de Rondônia (TJ-RO) derrubou a liminar concedida na quinta-feira (1) que suspendia partes dos decretos estaduais que permitiam a abertura de lanchonetes e restaurantes, igrejas e comércio relacionado à Pascoa neste final de semana.

A decisão veio após um recurso da Procuradoria Geral do Estado (PGE), que alegou violação ao princípio da separação dos poderes, além de "grave lesão as ordens pública e econômica".

Queiroz acolheu o argumento da PGE e argumentou que "a análise do ato administrativo emanado do Executivo restringe-se ao controle de legalidade, haja vista a impossibilidade de o Poder Judiciário invadir o mérito administrativo, que é discricionário, em observância ao Princípio da Separação dos Poderes de Estado".

O desembargador declarou que o decreto do governo estadual "se mostra razoável e adequado" em flexibilizar o funcionamento de uma atividade que vive da "sazonalidade", ou seja, que tem a maior parte das vendas em uma época do ano, como a Páscoa, dia das mães, pais, crianças ou Natal.

"Para o comércio que sobrevive da venda de chocolates é justa a parcial liberação, ainda mais se considerarmos que no ano de 2020 também passaram por essa restrição e em maior escala [...] Também compreendo o lado do comércio em desejar a abertura para consumo presencial, pois é notório que esse tipo de venda é de caráter sensorial e, muitas vezes, praticados por impulso (o cliente não decide de forma antecipada a compra), o que reduz bruscamente as vendas on-line".

Em relação às igrejas, a decisão cita o pedido da Procuradoria-geral da República ao Supremo Tribunal Federal para suspender decretos que impedem a realização de missas e cultos presenciais no fim de semana da Páscoa, e diz que até deliberação da Corte, o estado deve adotar a decisão do governador.

No documento, o desembargador reconheceu a dificuldade do Poder Judiciário em tomar decisões de abertura e fechamento de comércios porque essas decisões, qualquer que sejam, desagradam grande parte da população.

Fonte: G1 RO

Cabo de Guerra   Pandemia   Roosevelt Queiroz   Liminar Concedida   Decretos Estaduais   Comércio Relacionado   Justiça   Rondônia  

Mais em Rondônia

Notificações

Se você gostou do nosso conteúdo, podemos lhe enviar notificações push sobre postagens selecionadas.