Rondônia
Médicos sem Fronteiras farão intervenção em Rondônia
ONG é mantida por mais de 6 milhões de doadores espalhados no mundo todo, o que dá a eles a independência financeira

Por Diário da Amazônia
Publicado 22/03/2021
A A
Foto: Reprodução / Diário da Amazônia

Representantes da ONG Médicos sem Fronteiras estiveram no Conselho Regional de Medicina do Estado de Rondônia esta semana apresentando o trabalho que estão prestes a realizar no Estado. Recebidos pelo presidente Dr. Robinson Machado, destacaram a intenção de intervir na capacitação dos profissionais que estão à frente das UPAs focadas no atendimento contra a Covid-19.

De acordo com Fábio Biolchini, a ONG é mantida por mais de 6 milhões de doadores espalhados no mundo todo, o que dá a eles a independência financeira de poder intervir em qualquer situação de alerta em prol da população.

“Através da nossa central que acompanha os dados epidemiológicos em todo o mundo, o alerta na região Norte para os estados de Amazonas e Rondônia foi acionado, e aqui estamos para poder baixar as curvas de infecção e reduzir o encaminhamento de pacientes a necessidade de leitos de UTI. A fila de mais de 150 pessoas à espera de um leito de UTI neste Estado já bastou para ligar nosso alerta e podermos ajudar”, explicou.

O presidente do Cremero contextualizou os agentes sobre as ações desenvolvidas e as problemáticas enfrentadas justamente pelos profissionais das UPAs. Abordou também a necessidade de olhar para outras cidades do interior do Estado em situações também de abandono e precariedade.

“Nos colocamos à disposição para auxiliá-los no que for preciso, essa intervenção é extremamente bem vinda e sabemos do potencial dessa ONG em realmente cooperar e solucionar problemas”, acrescentou Dr. Robinson Machado.

Uma equipe de médicos está a caminho para iniciar o trabalho e a permanência deles em Rondônia será de aproximadamente 2 meses. “Nosso planejamento e cronograma envolve capacitação dos profissionais e consequentemente redução de números de pacientes com complexidade. Quando essa redução for sendo identificada entenderemos que é hora de nos retirarmos de cena, certos de que nossa missão foi completada e será mantida por aqueles que participaram da capacitação e serão multiplicadores”, enfatizou o representante da ONG.

Fonte: DIÁRIO DA AMAZÔNIA

Médicos Sem Fronteiras   Robinson Machado   Fábio Biolchini   Rondônia   Ong Médicos  

Mais em Rondônia

Notificações

Se você gostou do nosso conteúdo, podemos lhe enviar notificações push sobre postagens selecionadas.