Esporte
Dirigente do União Cacoalense desmente dispensa e quer que Porto Velho pague despesas com o atleta

Por Futebol do Norte
Publicado 16/03/2021
A A
Foto: Raí Mariano/União Cacoalense

O presidente do União Cacoalense, Wesley Dias, procurou no final da tarde desta segunda-feira (15/03) a reportagem do Futebol do Norte para esclarecer a saída do meia Everton Henrique da Raposa da BR e revelou que está aguardando o pagamento dos custos do atleta na cidade de Cacoal pela Locomotiva. 

"O atleta se apresentou no União Cacoalense e o atleta no dia em que ele se apresentou ele saiu dizendo para jantar e foi para a noitada com a mulherada. Ele se apresentou ao hotel do clube uma hora da manhã. O clube tem normas e ele não entrou no hotel do clube. Ele se reapresentou no outro dia cedo, a gente estabeleceu uma multa (R$ 500,00) para ele e outro atleta que está aqui. Ele assinou a multa e foi treinar normal", frisou Wesley Dias.

De acordo com dirigente do União Cacoalense, o interesse da Locomotiva no atleta é antigo. "O Porto Velho Esporte Clube vem tentando contratar ele há muito tempo. Aí nessa última agora, o Porto Velho teve o êxito de contratar. O atleta saiu fugido do clube, ele deixou para trás os seus pertences como chuteira, tênis. Os pertences de treino, ele fugiu numa noite e tem que expor bem isso aí", acrescentou.

Wesley Dias fez questão de explicar que Everton Henrique não foi dispensado. "O atleta assinou a multa e foi treinar. Ele acertou a multa estabelecida pelo clube e ele foi treinar dois dias e no terceiro dia ele foi para Porto Velho", resumiu.

O dirigente da Raposa da BR vem buscando uma solução pacífica para o caso para que o Porto Velho possa quitar o débito das passagens (R$ 1860,00) com o deslocamento do atleta até a cidade de Cacoal. "Venho conversando desde quinta-feira (11/03) com o presidente Maranhão. Eu pedi para o Maranhão devolver o dinheiro da despesa que tive com o atleta que é só a passagem pois acho que isso é de cavalheirismo e cordial. Não tem problema algum do atleta ter ido, só queria que ele devolvesse o custo da despesa que tive com o atleta. E o senhor Maranhão me informou que me devolveria os custos e ele ficou de me devolver. Hoje ele ficou me enrolando dizendo que ia esperar a CBF (Confederação Brasileira de Futebol) fazer o pagamento e senti que ele está me enrolando. Emiti essa nota de repúdio porque o que ele fez é errado. Se ele quer o atleta, pelo menos pague a passagem", disse.

Como forma de quitar o débito com o União Cacoalense, o Porto Velho chegou a oferecer alguns jogadores. "Eu não tenho interesse nos atletas do Porto Velho. Pediu para o Weverton (diretor do União Cacoalense) dizendo que conversou com o presidente do Porto Velho e ele assumiu de devolver todos os custos financeiros que o clube teve e também oferecendo atletas para o clube", destacou.

Wesley Dias pontuou ao final que apenas quer o que é justo para o União Cacoalense. "Só quero que devolva o custo da despesa do atleta só isso. É no fair play do futebol. Se o Porto Velho não tem isso aí era só ter falado e não ter falado que iria devolver. Isso eu venho conversando com o presidente Maranhão tem uns três dias para ressarcir as passagens de Campina Grande até Porto Velho e de Porto Velho até Cacoal", encerrou.

O União Cacoalense estreia no dia 28 de março diante do Barcelona no estádio Portal da Amazônia, em Vilhena, pela primeira rodada do Campeonato Rondoniense.

Fonte: Futebol do Norte

Balão   Porto Velho   União Cacoalense   Atleta   Everton Henrique  

Mais em Esporte

Notificações

Se você gostou do nosso conteúdo, podemos lhe enviar notificações push sobre postagens selecionadas.