Rondônia
Polícia Civil de Rondônia orienta população sobre como identificar cédulas falsas de R$ 200
Entre os pontos de identificação da nota estão as inscrições República Federativa do Brasil, o número 200 e a imagem do lobo guará, tudo em alto relevo

Por Cleuber Rodrigues Pereira
Publicado 25/09/2020
A A
Foto: © Raphael Ribeiro/BCB

A Polícia Civil de Rondônia (PC), por meio do Núcleo de Combate a Defraudações alerta a população para os golpes em relação à nova nota de R$ 200. Entre os pontos de identificação da nota estão as inscrições República Federativa do Brasil, o número 200 e a imagem do lobo guará, tudo em alto relevo.

“A população precisa ficar atenta e em estado de alerta quanto aos riscos de ser enganada com dinheiro falso”. A orientação é do delegado Swami Otto, titular do Núcleo que chama a atenção para a nota ainda não conhecida por muitos e de alto valor.

Segundo ele, além de se manterem atentas, as pessoas devem procurar (na internet) conhecer bem as características da nova nota, suas diferenças e pontos essenciais de identificação, visto que ela já foi objeto de falsificação mesmo antes de ser lançada pelo Banco Central, devido seu valor e facilidade de ser transportada, ação criminosa que é facilitada pelo menor volume e maior valor. “Nossa orientação (dica) é que o cidadão se mantenha atento e utilize de todos os meios e desconfie de facilidades e de pessoas que se mostram nervosas durante as transações comerciais e financeiras”, disse.

COMO IDENTIFICAR A NOTA FALSA

O delegado destacou que há vários meios para as pessoas para não cair nos golpes, a começar por conhecer as características da nota de R$ 200, que são inconfundíveis, e ainda, usar a tecnologia a seu favor, como a utilização de canetas especiais – a lazer, ultravioleta, luz negra, tinta invisível e outros – que detectam com segurança notas falsas. Ele disse também que, uma vez enganado no golpe da nota falsa, o cidadão deve procurar a Polícia Civil e apresentar ou dar as características do falsário para facilitar o trabalho da Polícia. “Se tiver o nome ou imagem da pessoa que passou a nota é preciso repassar à Polícia, pois esses dados ajudam muito o trabalho de investigação e captura”, disse.

De acordo com informes do próprio Banco Central a nova nota de R$ 200 tem vários elementos de segurança para dificultar a falsificação e a consequente banalização de crimes desta natureza. Entre esses elementos, o valor em numeral e a figura do lobo guará sempre aparecerão quando a nota for colocada contra a luz. Nessas mesmas circunstâncias também é possível enxergar que as partes do desenho logo abaixo de “REPÚBLICA” montam o número 200.

Outro aspecto essencial de segurança da nota é a exposição em alto relevo de alguns de seus pontos. As pessoas podem, pelo tato, sentir alguns elementos bem característicos, como a legenda “REPÚBLICA FEDERATIVA DO BRASIL”, o número 200 e o lobo-guará, tudo em alto relevo.

Se tudo isso não bastar ao cidadão para reconhecer a nota real de R$ 200, outros artifícios legais foram introduzidos para facilitar ainda mais a identificação e dificultar a falsificação. De acordo com explicações do Banco Central, ao movimentar a cédula é possível enxergar um efeito no número 200 – uma barra brilhante que faz o número mudar de cor, do azul ao verde. Por fim, como última orientação, basta a pessoa posicionar a nota à altura dos olhos, em um lugar bem iluminado para descobrir um número 200 logo acima da legenda “DUZENTOS REAIS”.

O delegado Swami Otto orienta ainda que qualquer pessoa está sujeita a ser enganada, e para evitar que isso aconteça, ao receber uma nota de R$ 200, a recomendação prática é sempre checar pelo menos três desses elementos de segurança, para não cair no golpe e não correr risco de prejuízo.

O titular da Delegacia de Defraudações da Polícia Civil de Rondônia lembra, por fim, que a falsificação ou alteração de moeda metálica ou papel-moeda é um crime capitulado no artigo 289 do Decreto Lei nº 2.848 de 07 de dezembro de 1940, que prevê pena de reclusão de três a doze anos e multa.

Importante lembrar que nessas mesmas penas incorre todo aquele que, por conta própria ou alheia, importa ou exporta, adquire, vende, troca, cede, empresta, guarda ou introduz na circulação moeda falsa – quem recebe ou quem passa a nota falsa.

Fonte: Secom - Governo de Rondônia

Segurança   Rondônia   Polícia Civil   População   Nota Falsa   Banco Central   Alerta   República Federativa  

Mais em Rondônia

Notificações

Se você gostou do nosso conteúdo, podemos lhe enviar notificações push sobre postagens selecionadas.