Política
Ministro da Educação defende o uso de protocolos de segurança para o retorno das aulas presencias
As medidas de segurança foram apresentadas pelo senador Confúcio Moura em julho, na comissão da Covid-19, da qual é presidente

Publicado 18/09/2020
A A
Foto: Assessoria

A Comissão Mista destinada a acompanhar a situação fiscal e a execução das medidas relacionadas ao coronavírus debateu nessa quinta-feira (17), com ministro da Educação, Milton Ribeiro, os investimentos e as estratégias do Governo Federal para a retomada das aulas presenciais e a mitigação dos impactos da pandemia no Brasil. 

Quanto a volta às aulas, Milton Ribeiro assegurou está empenhado e trabalhando para que o retorno seja o mais breve possível, observando todos os protocolos de biossegurança. “Nós não podemos colocar em risco as crianças e os adolescentes no caso e também os jovens numa infelicidade, mas, uma vez que nós estamos colocando à disposição dos municípios toda essa questão de infraestrutura e de cuidados”, disse.

Um protocolo de segurança foi apresentado pelo senador Confúcio Moura (MDB-RO) no mês de julho e encaminhado ao Ministério da Educação (MEC), secretários estaduais de educação, prefeitos e diretores escolares com o objetivo de auxiliar na definição de medidas de segurança e conscientização das famílias, estudantes e servidores da educação durante a Pandemia.

Com relação ao ano letivo, Milton Ribeiro afirmou que nada é perdido. “Com todo o respeito e sentimentos que tenho, quem perdeu a vida perdeu o ano. Nós que estamos aqui vivos, temos alguma coisa que aprendemos. Nós aprendemos, por exemplo, a usar um pouco melhor os meios virtuais, as escolas se prepararam, demos um passo a mais, subimos um degrau na questão de higiene e cuidados sanitários” lembrou.

 Fundeb

A respeito do novo Fundo de Manutenção e Desenvolvimento da Educação Básica (Fundeb), aprovado e promulgado pelo Congresso Nacional no último dia 26 de agosto, Confúcio Moura aconselhou  Milton Ribeiro uma converse com o ministro da Economia,  Paulo Guedes,  para falar sobre a abrangência, perspectivas do Fundeb, receitas e os impactos orçamentários na educação para o ano que vem e os anos subsequentes.

Confúcio Moura sugeriu ainda ao ministro da Educação que os técnicos do MEC conversem também com o senador Marcio Bittar (MDB-AC), relator do Orçamento da União, para tratar do assunto.

Sobre as obras de creches paralisadas no Brasil, o senador indagou ao ministro a retomada delas. Ribeiro disse que há mais de duas mil obras ligadas ao MEC paralisadas. Segundo ele, uma das razões é a má gestão.  “Muitas delas estão paradas por questões judiciais, o CNJ já se dispôs a nos ajudar, mas há questões de prestação de contas, de desvio de recursos públicos. Isso tudo existe ainda na ponta e é isso que nós vamos procurar minimizar, com uma boa regulamentação do Fundeb”, concluiu.

Fonte: Assessoria de Imprensa

Aulas Presencias   Comissão Mista   Governo federal   Situação Fiscal   Confúcio Moura   Coronavírus   Educação  

Mais em Política

Notificações

Se você gostou do nosso conteúdo, podemos lhe enviar notificações push sobre postagens selecionadas.