Rondônia
Governo de Rondônia deve retomar estudo da saída para o Pacífico
A soja, que hoje viaja de caminhão até o porto organizado da capital, um dia irá de trem para os portos do Pacífico

Por Montezuma Cruz
Publicado 20/07/2020
Atualizado 20/07/2020
A A
Foto: Ésio Mendes, Nilson Santos e Arquivo Secom

A Associação Rondoniense de Municípios (Arom) apoia a reivindicação do prefeito de Vilhena, Eduardo japonês, ao governador Marcos Rocha, para a retomada do debate sobre a Ferrovia Transcontinental [Rondônia-Peru], em Brasília. Negociações com autoridades chinesas começaram, mas foram interrompidas pela pandemia, em março deste ano.

Antes da pandemia, 70% das exportações de carne bovina e soja de Rondônia destinavam-se à China, informou a coordenadora de comércio exterior na Superintendência Estadual de Desenvolvimento Econômico e Infraestrutura (Sedi), Suellen Lemos.

“A luz está acesa, a tendência é uma melhora geral nas negociações”, ela disse.

Enquanto o sonho da conclusão do projeto ferroviário não se realiza, o governo estadual, por meio da Sedi, procura ajudar o governo federal a desembaraçar o atual sistema de transbordo de cargas na fronteira com o Peru.

“A rodovia (Transoceânica) é boa, mas o peixe refrigerado, por exemplo, não pode ficar muito tempo parado, antes de seguir viagem para aquele país”, explicou Suellen Lemos referindo-se ao sistema fiscalizador peruano em Inãpari, fronteiriça a Assis Brasil (AC).

No início do ano, ela esteve na Embaixada do Peru, onde ouviu do próprio embaixador Jorge Porfirio Bayona Medina a disposição em alinhar alterações legais com os governadores do Acre e Rondônia, facilitando as exportações. “Há muito tempo, caminhão brasileiro não pode trafegar naquele país, e em consequência disso, o demorado transbordo das cargas é feito com reduzida equipe de fiscais, o que complica a exportação”, disse Suellen.

O prefeito de Vilhena deve acertar com o governo a retomada da pauta visando à construção da futura ferrovia Transoceânica. Também conhecida por Ferrovia Transcontinental [EF-354], ela é fruto do projeto multinacional do Brasil e do Peru, para conectar o Oceano Atlântico, no litoral brasileiro ao Oceano Pacífico no litoral peruano.

A ferrovia atravessaria de Leste a Oeste o continente Sul-americano. Reúne o interesse de brasileiros, bolivianos e peruanos, porém, depende do bom andamento das relações diplomáticas e comerciais com a China. O presidente Jair Bolsonaro e o vice-presidente Hamilton Mourão já estiveram na China e se surpreenderam com as perspectivas de futuros negócios.

Segundo a Associação Brasileira da Indústria Ferroviária (Abifer), o projeto ferrovia terá quatro mil quilômetros de extensão. O corredor possibilitaria o acesso ao Oceano Pacífico, através do porto de Ilo, no Peru, rumo ao mercado asiático e australiano.

Na gestão de Marcos Rocha, o governo promoveu até agora duas reuniões com a Câmara de Comércio Brasil China,no Palácio Rio Madeira.

Empresários e autoridades estaduais ouviram palestras e assistiram a videográficos esclarecedores a respeito da fase de transição vivida pela China.

O presidente da Câmara de Comércio Brasil-China, Charles Tang, sugeriu a empresários e ao governador a visita de uma comitiva rondoniense àquele país. Aos poucos, a China reúne condições para se transformar no maior mercado global da história da humanidade.

Como a renda per capita [por cabeça] do país cresceu muito de alguns anos para cá, a China se tornou o maior consumidor mundial. No entanto, precisa terceirizar a fabricação, por exemplo noutros países, o Brasil entre eles.

Conheça a renda e os interesses da China em Rondônia

Desde o início da pandemia, em março, o governo estadual editou alguns decretos, pelos quais, conclamou a população a se unir no compromisso de cumprir medidas de combate ao contágio do novo coronavírus. A reivindicação do prefeito de Vilhena coincidiu com o período decisivo do governo estadual para a reabertura do comércio.

Foto: Ésio Mendes, Nilson Santos e Arquivo Secom

Fonte: Secom - Governo de Rondônia

Oceano Pacífico   Rondônia   China   Ferrovia Transcontinental   Governo Estadual   Retomar Estudo  

Mais em Rondônia

Notificações

Se você gostou do nosso conteúdo, podemos lhe enviar notificações push sobre postagens selecionadas.