Agronegócio
SOJA: Quedas do dólar e dos valores externos pressionam cotações no BR

Por Cepea
Publicado 15/06/2020
A A
Foto: Ally j por Pixabay

A finalização da colheita de soja na Argentina, o amplo estoque norte-americano, o clima favorável ao cultivo nos Estados Unidos e a desvalorização do dólar frente ao Real na maior parte da última semana pressionaram os valores da oleaginosa no Brasil nos últimos dias.

Entre 5 e 12 de junho, os indicadores Esalq/BM&FBovespa da soja Paranaguá (PR) e Cepea/Esalq – Paraná cederam 1,4% e 1,05%, respectivamente, com fechamentos a R$ 105,74 e a R$ 99,81 pela saca de 60 quilos, na mesma ordem, na sexta-feira, 12. Os valores internos dos derivados também caíram. No caso do óleo de soja, a pressão veio das baixas demandas doméstica e externa.

Em relação ao farelo de soja, as cotações também foram influenciadas pela menor demanda interna – compradores se mostram abastecidos, com estoques para 15 dias. Entretanto, segundo colaboradores do Cepea, o movimento de queda nos valores dos grãos e derivados foi limitado pela retração de sojicultores em comercializar elevados volumes e pelos baixos estoques das indústrias brasileiras.

Vale lembrar que grande parte das safras 2019/2020 e 2020/2021 já foi negociada. Segundo agentes consultados pelo Cepea, as vendas registram, inclusive, volumes recordes quando comparadas as de mesmos períodos de anos anteriores

Fonte: Cepea

Soja   Indicadores Esalq   Estados Unidos   Clima Favorável   Dólar Frente   Semana Pressionaram   Argentina   Ultima Semana  

Mais em Agronegócio

Notificações

Se você gostou do nosso conteúdo, podemos lhe enviar notificações push sobre postagens selecionadas.