Polícia
Fiel denuncia que suposta pastora deu golpe de R$ 17 mil, estelionato
Mulher disse que objetivo era receber conselhos e ajuda espiritual durante um difícil momento da vida. Polícia Civil investiga se houve crime de estelionato.

Por G1 GO
Publicado 06/06/2020
A A
Foto: Reprodução/TV Anhanguera

Uma mulher que transferiu R$ 17 mil para uma suposta pastora apresentada por um parente, com o objetivo de receber conselhos e ajuda espiritual durante um difícil momento da vida, acabou denunciando a conselheira à Polícia Civil pelo crime de estelionato.

A ajuda espiritual seria em forma de campanha de oração e dependia de um sacrifício: o dinheiro. O valor total foi transferido durante três meses em depósitos com quantias diferentes. No início, a mulher relata ter sentido paz, mas, depois, começou a estranhar a atitude da suposta pastora.

A equipe de reportagem ligou para o advogado de defesa da suposta pastora às 22h de sexta-feira (5) e enviou mensagens para o celular dele, mas a ligação não foi retornada nem as mensagens respondidas até a publicação desta reportagem.

"E essa campanha seria de 21 dias. Fiz o primeiro depósito, passou um ou dois dias e ela disse que o sacrifício não foi aceito. Eu fiz mais outro depósito. Para cada vez mais ir tirando o seu dinheiro, ela começa a te aterrorizar", diz a mulher que denunciou o golpe.

Em uma conversa por celular, a suposta conselheira diz: "Eu sei que isso não é hora, mas o pastor está perguntando do valor. Todos estão em jejum de água para fazer. Quero dar uma resposta ao pastor".

A mulher envia então um comprovante de depósito no valor de R$ 2 mil na conta da suposta pastora. Depois disso, ela registrou um boletim de ocorrência pela internet na 4ª Delegacia de Polícia Civil, em Goiânia.

O delegado Glaydson Divino Costa informou que vai investigar essa nova denúncia e que a suspeita já foi condenada pelo crime de estelionato em Goiás, mas o processo foi suspenso pelo Ministério Público porque a pena é menor que um ano.

Divino Costa disse ainda que, além deste caso, há pelo menos duas denúncias contra a suspeita em investigação, sendo uma em Goiânia e outra no Mato Grosso do Sul. O delegado disse que a suposta pastora não foi encontrada no endereço registrado como sendo dela.

Pirâmide financeira
Apesar dos depósitos, a fiel recebeu alguns reembolsos, o que a levou a acreditar que a suposta pastora montou uma espécie de pirâmide financeira baseada na fé. Esse esquema financeiro consiste em pegar dinheiro de uma pessoa e enviar para outra.

"Pelo visto, essa pirâmide ruiu. Ela não tem mais condições de arcar com o que ela fez [pastora]. A intenção da vítima é denunciar para que outras pessoas também tenham coragem de ir à delegacia para evitar danos maiores", diz a advogada Jakelliny Nemura de Moura, contratada pela fiel para fazer sua defesa.

Em conversa com parentes, a mulher ainda descobriu que eles entregaram dinheiro à suposta pastora em segredo. A regra era que um não poderia comentar com o outro sobre a participação na campanha.

"Espero justiça. Ela utiliza da fragilidade, da fé das pessoas. Todo mundo passa por problemas e o que a gente mais espera é que o ser humano chegue até o outro para estender a mão e ajudar. Quero reaver meu dinheiro. Ela não tem direito de ficar com o que é meu", desabafa a mulher.

 

Foto: Reprodução/TV Anhanguera

Fonte: G1 GO

Suposta Pastora   Ajuda Espiritual   Suposta   Acabou Denunciando   Pastora   Polícia Civil   Mulher   Pastora Apresentada   Espiritual Durante   DINHEIRO  

Mais em Polícia

Notificações

Se você gostou do nosso conteúdo, podemos lhe enviar notificações push sobre postagens selecionadas.