Agronegócio
Preços do boi gordo continuam subindo com final de safra atípico
De acordo com a consultoria Safras & Mercado, consumo doméstico no geral foi bastante prejudicado, mas a demanda chinesa segue bastante efetiva no momento

Por Canal Rural
Publicado 02/06/2020
A A
Foto: Nilson Almeida

O mercado físico do boi gordo registrou preços mais altos nas principais praças de produção e comercialização do Brasil nesta segunda-feira, 1º. Segundo o analista Fernando Henrique Iglesias, da consultoria Safras & Mercado, alguns frigoríficos ainda ficaram fora da aquisição de gado, avaliando as melhores estratégias de compras para o restante da semana.

“Fundamentalmente, este final de safra é muito diferente do usual, com uma pressão de oferta menos efetiva, consequência da retenção de fêmeas. A demanda doméstica de carne bovina segue fragilizada, embora haja algum otimismo em relação ao relaxamento da quarentena em alguns estados. Resta saber as consequências do prolongado período de distanciamento social, avaliando os pedidos de falência, desemprego e outras variáveis determinantes. O que se sabe é que o consumo no geral foi bastante prejudicado. Por outro lado, a demanda chinesa segue bastante efetiva neste momento, avaliando a lacuna de oferta formada no país asiático com o surto de peste suína africana”, afirma Iglesias.

Na capital paulista, os preços do mercado à vista ficaram em R$ 196 a arroba, contra R$ 194 na sexta-feira, 29. Em Uberaba (MG), os preços ficaram em R$ 190 a arroba, ante R$ 187 no fechamento anterior. Em Dourados (MS), a cotação foi de R$ 180 contra R$ 178 anteriormente. Em Goiânia (GO), o preço indicado foi de R$ 187 a arroba, ante R$ 185. Já em Cuiabá (MT), a arroba passou para R$ 173, contra R$ 172.

Atacado

No mercado atacadista, os preços da carne bovina ficaram de estáveis a mais baixos. De acordo com a Safras & Mercado, o perfil de consumo foi alterado com o distanciamento social, diminuindo a demanda para os cortes mais nobres.
O brasileiro médio, segundo a consultoria, vai dando preferência às proteínas que causem menor impacto no orçamento, como os cortes de dianteiro bovino, carne de frango e ovos de galinha.

Nesta segunda-feira, a ponta de agulha ficou em R$ 11,20 o quilo, estável. Já o corte dianteiro permaneceu em R$ 11,75 por quilo, e o corte traseiro caiu de R$ 13,40 o quilo para R$ 13,30.

Fonte: Canal Rural

Boi Gordo   Principais Praças   Henrique Iglesias   Mercado Físico   brasil   Registrou Preços   Analista Fernando   MERCADO  

Mais em Agronegócio

Notificações

Se você gostou do nosso conteúdo, podemos lhe enviar notificações push sobre postagens selecionadas.