Agronegócio
Período oficial da colheita do café se aproxima e Secretaria de Agricultura orienta produtores de Ro
O período de maturação e colheira inicia-se oficialmente em abril

Por Vanessa Farias
Publicado 26/03/2020
A A
Fotos: Rinkon Martins

Diante do quadro de calamidade pública estabelecido pelo Decreto 24.887 de 20 março de 2020, o Governo de Rondônia, por meio da Secretaria de Estado da Agricultura (Seagri), emitiu na segunda-feira (23) uma notificação recomendatória para orientar os cafeicultores sobre o período de maturação e colheita que se inicia oficialmente no mês de abril, regulamentado pela Lei Estadual nº 3.516, de 17 de março de 2015.

A recomendação trata sobre os trabalhos de colheita, secagem, transporte e comercialização do café de Rondônia, considerando que a cafeicultura é uma das principais atividades agrícolas do Estado praticada predominantemente por agricultores familiares.

Segundo o secretário da Seagri, Evandro Cesar Padovani, “esta é uma das maiores safras da história e não faltará alimentos de qualidade nas gôndolas de mercados. Quero tranquilizar a toda a população de que todas as indústrias instaladas no Estado estão trabalhando, e nossos produtores também, seja da agricultura empresarial ou familiar”.

Padovani enfatiza que a produção agrícola está respondendo e que a população deve ficar tranquila.

“Vamos cuidar das nossas famílias, ficando em casa e acompanhando a determinação dos nossos agentes da saúde, e com certeza nós vamos vencer mais esse desafio desse inimigo, o coronavírus”, declarou.

 

Na notificação recomendatória, a Seagri elenca 13 cuidados para o trabalho no campo:

  1. Aguardar o máximo possível para iniciar a colheita do café. Iniciar somente quando pelo menos 80% dos grãos estiverem maduros (cereja);
  2. Colher o café por clones. Começar pelos mais precoces, depois os intermediários e por fim os tardios;
  3. Evitar aglomerações de pessoas. Manter distância mínima de 2 m (dois metros) entre os trabalhadores. Utilizar estratégias como a divisão dos colhedores por talhões ou carreiras;
  4. Não realizar contato físico com outros trabalhadores;
  5. Adotar cuidados pessoais frequentes, sobretudo da lavagem das mãos com água e sabão;
  6. Não compartilhar objetos pessoais, tais como: copos, talheres, toalhas, entre outros;
  7. Atentar aos cuidados básicos de higienização pessoal e realizar a limpeza minuciosa diária de todos os equipamentos, componentes, peças e utensílios em geral ao final do manuseio. Utilizar preferencialmente água e sabão para a higienização;
  8. As pessoas do grupo de risco deverão ser dispensadas das atividades e permanecer em suas casas. São consideradas do grupo de risco: pessoas com 60 ou mais anos de idade, pessoas com doenças crônicas, pessoas com histórico de doenças respiratórias, e mulheres grávidas;
  9. Se houver a necessidade de contratação de prestadores de serviço, fornecer Equipamentos de Proteção Individual (EPI), disponibilizar de todos os insumos, como álcool gel 70% (setenta por cento), máscaras e demais equipamentos recomendados para a manutenção de higiene pessoal e prevenção ao Covid-19 aos trabalhadores;
  10. Se houver a necessidade de transporte de trabalhadores de forma coletiva ou individual, este não deverá exceder à metade da capacidade de passageiros sentados do veículo e os mesmos deverão utilizar máscaras;
  11. Referente à secagem e comercialização, recomenda-se que os contatos para agendamentos sejam realizados via telefone ou e-mail e que os pagamentos sejam realizados por meio eletrônico (transferência bancária ou cartões de crédito e débito);
  12. Em unidades prestadoras de serviço de secagem de café, recomenda-se adotar escalas de trabalho, ou dividir trabalhadores por turnos, afim de evitar aglomerações de pessoas;
  13. As pessoas que apresentarem sintomas definidos como os identificadores do Covid-19, deverão ser inseridos em regime de quarentena, e notificar a Agevisa.

Citando a cafeicultura e toda a agricultura como fonte imprescindível para alimentar a população e gerar riquezas, a notificação diz que a produção não pode parar e que é preciso que cada um faça a sua parte para evitar a disseminação do Covid-19.

Fonte: Secom - Governo de Rondônia

Lei Estadual   calamidade pública   Estado   Governo de Rondônia   Inicia Oficialmente   Seagri   Cafeicultores  

Mais em Agronegócio

Notificações

Se você gostou do nosso conteúdo, podemos lhe enviar notificações push sobre postagens selecionadas.