Geral
Mulher que atropelou e matou marido após discussão se entrega à Polícia Civil: 'foi acidente'
Beatriz Azevedo Olivato, de 57 anos, cumprirá prisão temporária por 30 dias.

Por G1
Publicado 12/09/2019
A A
Foto: Fábio Junior/EPTV

Suspeita de atropelar e matar o marido após uma discussão em Ribeirão Preto (SP), a comerciante Beatriz Azevedo Olivato, de 57 anos, se entregou à Polícia Civil na tarde desta quinta-feira (12). Ela cumprirá prisão temporária por 30 dias. Na chegada à delegacia, Beatriz negou que o atropelamento tenha sido proposital, como sustenta a polícia.

“Eu não matei meu marido. Eu só vou falar em juízo, só vou falar em juízo, foi um acidente”.
O atropelamento ocorreu na noite de 1º de setembro, na Rua Horácio Pessine, no Jardim Nova Aliança. O empresário Fernando Azevedo Olivato, de 55 anos, morreu no local. Beatriz chegou a fugir sem prestar socorro ao marido, mas deu uma volta no quarteirão e retornou.

Segundo a Polícia Civil, o casal havia discutiu no apartamento, localizado no mesmo endereço. Beatriz acionou a Polícia Militar e deixou o imóvel após a chegada da viatura. Ela seguiu para o carro estacionado na rua, mas foi surpreendida pelo marido.

Olivato tentou entrar no veículo pela porta do passageiro. Sem sucesso, ele tentou dar a volta pela frente do carro e, nesse momento, Beatriz acelerou. O atropelamento foi registrado por câmeras de segurança. Os vídeos embasaram o pedido de prisão feito pela Polícia Civil.

Para o delegado José Luís Meirelles Junior, as imagens deixam clara a intenção do atropelamento. A Justiça concedeu a prisão temporária na segunda-feira (9), mas a comerciante não foi encontrada em casa e no supermercado que administrava com o marido.

O casal era dono do comércio no bairro Leo Gomes de Moraes, na zona Norte de Ribeirão. Clientes contaram que as brigas entre os dois eram comuns na frente deles e dos funcionários. Ainda segundo os vizinhos, Olivato agredia Beatriz com frequência.

Fatalidade
Nesta quinta-feira, Beatriz foi levada ao 4º Distrito Policial de Ribeirão Preto pelo advogado, Carlos Rocha Mesquita. Ela não prestou depoimento e afirmou ao delegado que só falará sobre o caso em juízo. A comerciante foi levada à penitenciária feminina de Franca (SP).

Na saída da delegacia, o advogado sustentou a versão de que Beatriz não tinha a intenção de matar o marido, destacando que ela se apresentou espontaneamente à polícia e em nenhum momento tinha pretensão de fugir.

“Ela não teve a intenção de matar o marido”, disse. “Se a gente for observar na imagem de frente, o carro vai para a esquerda. Se ela tivesse a intenção, a nosso modo de entender, ela teria ido em frente, de tal forma que foi uma fatalidade, foi algo inesperado”, completou.

 

oto: Fábio Junior/EPTV
Foto: Reprodução

Fonte: G1

Atropelamento   Mulher   matou   Marido   Polícia Civil   Ribeirão Preto   São Paulo   Beatriz Azevedo Olivato  

Mais em Geral

Notificações

Se você gostou do nosso conteúdo, podemos lhe enviar notificações push sobre postagens selecionadas.